3 de outubro de 2010

E a vida é para ser vivida...

E sabe quando parece que aconteceram um monte de coisas e algumas vezes você nem acompanhou? Então... Bem isso! Eu não abandonei meu caçula, não faria isso, até por que eu entro aqui todos os dias e vejo como ele é lindo. Coisa de mãe!

Minha vida mudou de forma tão doida. Vou usar essa palavra por que eu acho que retrata bem. Quem me conhece sabe bem o que eu estou falando. E quer saber? “Tô curtindo”. Eu sempre falo que não podemos ficar lamentando, e isso parece que cada hora martela mais na minha mente. Não vou lamentar o que passou, já foi mesmo.Se fizesse isso estaria perdendo tempo de aproveitar o que eu posso mudar agora, desperdiçando o que Deus deu de melhor, nosso presente. Olha que lindo, “presente”, borá aproveitar!!! ^^

Sim, ando estranha algumas vezes. Minha mãe disse isso. Meus amigos confirmaram. Mas, é que às vezes existem sentimentos que não sei lidar, não me façam perguntas agora, não saberia responder. Tem horas que me vem uma explosão de sentimentos, que da vontade de sair correndo... E o pior, para os braços de alguém! Mas, isso nem vem ao caso, é quase uma piada interna comigo mesma!

Tem horas que me sinto tão livre, que eu me perco. Mas, logo me encontro. Estranho? Pode até ser, mas é bom. Existem horas que da vontade de resgatar uma Aryana, que eu sei que nem existe mais. Mas, ela era legal também sabe?!

Tudo bem né. A Karla esta firme e forte aqui hehehe! Estou feliz. Por mais que eu acredite que felicidade é algo momentâneo, e que isso passe. Aliás, eu sempre acredito que tudo passa. Não me iludo, eu sempre acho que tudo acaba. E sempre acaba mesmo. Entretanto, eu tenho esperança e confio que “até quando uma flor cai no outono, a primavera trata de colocar outra no lugar".

E é isso. Não, meu post não acaba assim! Eu não tenho apenas isso para dizer à vocês, a realidade é que eu tenho tantas coisas que estou perdida. Mudaram tantas coisas. Eu acredito que é por que os dias estão passando rápido demais, tenho quase certeza disso. Fiz uma pulso e passou tão rápido o período de enjôo, e olha que eu sempre fico chata, sim, mais que o comum. Quase um ser insuportável, e um tanto quanto exagerada também.

Esses dias eu também estava revoltada com minha peruca. Queria, desejei como ninguém meu cabelo, o pior aquele cabelo maior que eu tinha. E eu não tinha como ter isso e isso me irritou. Me irritei demais, e chorei feito criança. Eu quero, eu quis ter o direito de ser fútil. Eu fui forte um bom tempo, e me orgulhei disso, e para mim isso bastava, ou bastou por aquele tempo.

Tem horas que parece que eu sei tantas coisas, e tem horas que parecem que todas as coisas que eu sabia somem de minha mente. Eu fico perdida, totalmente sem rumo. E eu fico ali, no meu canto, parece que esperando algo de extraordinário acontecer. E às vezes até acontece, não do jeito que eu queria, ou do modo como eu planejei, mas, acontece. E sei lá sabe, tem coisas que nem comento.

Tenho tantos planos, que algumas vezes não da tempo de executá-los. Eu coloquei em algumas redes sociais que tinha um plano para mudar o mundo e recebi comentários engraçados. Parece que ninguém entende que eu tenho mesmo um plano. Só não sei por onde começar, mas vou descobrir. Talvez eu comece por mim.

É isso. Eu estou vivendo diferente. Não tanto, mas to. Estou aprendendo a ser mais séria com certas atitudes e mais brincalhona, se isso fosse possível, com outras. Aprendi a deixar de gostar e aprendi a começar a gostar de novo, e isso é tão estranho. Mas, de tão estranho se torna patético e de tão patético, se torna mágico. E eu descobri o melhor de tudo, sou mesmo apaixonada por mim.

E quando você descobre que é apaixonada por você mesmo é tão bom. Por que ai você pode brigar com você, pode falar mal você, pode ter tantas misturas de sentimentos que você se entende. Isso é algo que só quando você tem um encontro com você mesmo, irá entender. Nesse exato momento estou ouvindo a música do Jorge e Meteus, que fala. “Hoje eu acordei gostando mais de mim, vou cair fora, vou na boa...”. Foi bem minha cara essa música por um tempo. Ou até é. Gostei mais de mim, e agora gosto. Apaixonei.

E agora largando um pouco meu egocentrismo. As pessoas também mudaram né? Alguém percebeu, ou foi só eu? Mas, isso eu falo depois. Ta tudo bem. Eu não deixei tão de lado meu egocentrismo.

Eu queria conseguir explicar todo esse vulcão que está acontecendo dentro de mim. É complicado esse lance de perder e ganhar as coisas em curto período de tempo. Desse jeito eu viro um furacão chamado Aryana Lobo, ou quem sabe uma calmaria cujo nome seria Karla Barroso. E por que não as duas juntas...

O que eu sei e por mais que seja clichê, é que não sei mesmo nada. É bom aprender. Eu gosto de aprender. Melhor ainda é aprender e descobrir que cada dia tem mais para aprender! Afinal, a vida é feita para ser vivida! ;D

2 comentários:

Nati disse...

'E quando você descobre que é apaixonada por você mesmo é tão bom.'

perfeito isso. :)

amiga só tenho a dizer que vc deve continuar lutando, a gente muda mesmo, eu mudo constantemente, também me dá essas loucuras, quero correr, gritar, chorar. e depois simplesmente 'passa'.
qualquer coisa, qlqer coisa mesmo. me dá um grito? beijo amora. x3

Aryana Lobo disse...

Ain amiga!! É lindo né quando a gente se conhece *-* Eu amo, ou estou amando essa fase de auto conhecimento!! =DD Amigaaaa vc tbm pode contar cmg pra tudo minha flor japa!!! =) Amoo!!! *-*